Tecnologia e Games

GE inaugura centro de pesquisas de US$ 500 milhões no Brasil

Fica no Parque Tecnológico da UFRJ

GE inaugura centro de pesquisas de US$ 500 milhões no Brasil

A GE inaugura hoje, no Rio de Janeiro, seu quinto Centro de Pesquisas Global. A empresa investiu um total de US$ 500 milhões na criação do espaço, que fica no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Por enquanto o centro trabalha em quatro setores: sistemas de bioenergia, sistemas inteligentes, integração de sistemas, e sistemas offshore e submarinos. A empresa já possui acordos com empresas e entidades como Petrobras, EBX, COPPE-UFRJ, IPT e MRS.

A ideia da GE é estimular as áreas de pesquisa e desenvolvimento nacionais enquanto produz tecnologia avançada para seus negócios. Tanto que 90% dos pesquisadores que já atuam da unidade carioca são brasileiros, dos quais 10% foram repatriados e outros 20% contam com experiência internacional.

O Brasil foi escolhido para receber o espaço em novembro de 2010 e em setembro de 2011 já havia profissionais em atividade em um prédio emprestado da UFRJ. O local atual conta com 24 mil metros quadrados de área construída dentro de um terreno de 47 mil m2. Tudo isso foi cedido pelo Governo do Estado por 50 anos, em acordo que pode ser extendido por mais 50 anos.

Inicialmente, a intenção era gastar US$ 150 milhões na construção do centro, mas já em maio de 2012 a previsão subiu para US$ 250 milhões. Até que, em novembro daquele ano, foi anunciado que o investimento seria dobrado. A empresa liga a decisão à importância que o Brasil exerce sobre seus negócios, afinal o país é o terceiro maior mercado da GE.

"Acreditamos que a região continuará sendo boa a longo prazo. Gostamos dos empreendedores e das universidades brasileiras, que estão se tornando tão competitivas quanto as principais do mundo", justifica o presidente e CEO mundial da GE, Jeff Immelt.

Como está em atividade discretamente desde 2011, hoje o centro carioca abriga 110 funcionários, sendo 90 deles pesquisadores. Os resultados obtidos até agora, entretanto, são baixos, em comparação com o potencial da companhia. Só em 2013 a GE registrou 2.839 patentes, enquanto o centro de pesquisas do Rio, de 2011 até agora, abriu apenas três - nas áreas de bioenergia, realidade aumentada e aviação comercial.

Cabem 400 profissionais na unidade, que está sob comando do americano Kenneth G. Herd, líder do centro no país. Juntas, as outras quatro - de Niskayuna (EUA), Bangalore (Índia), Xangai (China) e Munique (Alemanha) - somam mais de 3 mil pesquisadores.

Olhar Digital

Comentários