Paraíba

Suspeito de matar lutador de MMA deixa presídio na PB

Advogado diz que estudante não teria participado do crime

Suspeito de matar lutador de MMA deixa presídio na PB

Um dos suspeitos de matar um lutador de MMA durante o Revéillon em Cabedelo foi solto na quarta-feira (18) após ter o pedido de prisão provisória revogado pela justiça. O estudante Igor Mateus Fonseca, de 20 anos, estava preso na Penitenciária Flósculo da Nóbrega, o presídio do Róger, em João Pessoa. De acordo Abraão Beltrão, advogado de Igor, o estudante não teria participado do crime e apenas estava no local quando aconteceu o homicídio.

O lutador Herisson Medeiros, de 30 anos, foi morto a tiros após uma discussão com dois jovens e um adolescente durante a festa da virada do ano na orla da Grande João Pessoa. Segundo informações da polícia, o motivo da discussão teria sido um esbarrão que o lutador  teria dado em um dos três suspeitos. Herisson foi baleado três vezes em um terreno baldio. No mesmo dia do crime (1 º de janeiro), o trio foi detido pela polícia.

Segundo Abraão Beltrão, o pedido de revogação da prisão provisória foi ingressado pela defesa antes do Carnaval. “Meu cliente é réu primário e não tem antecedentes. O juiz analisou o caso, tendo como base as informações das testemunhas e dos outros suspeitos do crime, e atendeu ao pedido”, disse o advogado.

De acordo com a defesa, tanto as testemunhas quanto o estudante e o adolescente que foi apreendido como suspeito contam que o outro jovem que foi preso é o responsável pelos disparos. Abraão explica que apesar de aguardar o processo em liberdade, Igor deve cumprir algumas medidas cautelares. “Ele não pode sair de João Pessoa sem autorização, tem que estar em casa todos os dias antes das 22h e não pode frequentar bares enquanto correr o processo”, explicou.

Na época do crime, o irmão da vítima, Hebert Medeiros, disse que os suspeitos estavam usando drogas minutos antes de cometer o homicídio. “Meu irmão tropeçou, eu vi na hora que ele tropeçou. Quando eu me deparei com a situação, vi que eles estavam tendo um atrito verbal. Ele estava a um metro de distância. O suspeito realmente se equivocou, meu irmão viu quando ele se levantou. O suspeito então sacou a arma e fez toda a situação”, alegou.

O trio foi detido no mesmo dia do homicídio, no dia 1º de janeiro. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Militar, uma equipe da PM que estava na área onde o crime aconteceu. Os policiais escutaram um disparo de arma de fogo e foram ao local, conseguindo perseguir e prender os três suspeitos, sendo dois adultos e um adolescente. Os três suspeitos foram indiciados por homicídio qualificado.

G1/PB

Comentários