Brasil

Bumlai tinha acesso livre no governo Lula

Empresário foi preso em um hotel de Brasília onde estava hospedado para depor, nesta terça-feira, na CPI do BNDES

 Bumlai tinha acesso livre no governo Lula

O pecuarista José Carlos Bumlai foi preso na manhã desta terça-feira (24), em Brasília, em nova fase da operação Lava Jato. A Polícia Federal cumpriu mandado de prisão preventiva contra o empresário, que estava hospedado em um hotel da capital federal para depor, nesta terça, na CPI do BNDES.

Bumlai, amigo íntimo do ex-presidente Lula, foi citado na delação premiada do lobista Fernando Baiano. Baiano disse que o pecuarista seria uma espécie de lobista na Sete Brasil, empresa que administra o aluguel de sondas para a Petrobras. Em depoimento ao Ministério Público Federal, Baiano disse ter repassado R$ 2 milhões a Bumlai, dinheiro seria usado para pagar uma dívida imobiliária de uma nora de Lula.

Além da prisão do pecuarista, a 21ª fase da operação Lava Jato, nomeada de Passe Livre, cumpre nesta terça 25 mandados de busca e apreensão e seis de condução coercitiva em stão sendo cumpridos 25 mandados de busca e apreensão, um mandado de prisão preventiva e seis mandados de condução coercitiva em São Paulo (SP), Lins (SP), Piracicaba (SP), Rio de Janeiro (RJ), Campo Grande (MS), Dourados (MS) e Brasília (DF).

Segundo a PF, “complexas medidas de engenharia financeira foram utilizadas pelos investigados com o objetivo de ocultar a real destinação dos valores indevidos pagos a agentes públicos e diretores da estatal”.

Participam da operação, 140 policiais federais e 23 auditores fiscais. Os investigados nesta fase responderão pela prática dos crimes de fraudes a licitação, falsidade ideológica, falsificação de documentos, corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e lavagem de dinheiro.

 

IG

Comentários